Semijoia folheada ou banhada? Quais as diferenças e como escolher?

Uma boa revendedora de semijoias precisa entender bem as diferenças entre seus produtos. Qualidade da estrutura, importância das pedras e até o significado das cores em anéis de formatura são alguns exemplos.

Tão importante quanto esses fatores é conhecer as diferenças entre semijoias banhadas e folheadas. Não raramente, as consumidoras ficam confusas com essas nomenclaturas e precisam de uma profissional preparada para esclarecer essas dúvidas.

Neste post, você vai conhecer as principais diferenças entre semijoias banhadas e folheadas, além de aprender como escolher o melhor tipo de acessório para revenda. Confira!

Quais as principais diferenças entre semijoias banhadas e folheadas?

Também chamada de chapeada, a semijoia folheada recebe uma fina camada de ouro, ródio ou prata por cima de sua estrutura (que pode ser feita de níquel, prata, latão, cobre, cádmio ou paládio). Por meio de uma compressão bem forte, essa folha de metal se fixa no acessório. Como sua espessura é mais fina, a peça costuma ser mais barata.

Já a semijoia banhada passa por um processo chamado galvanoplastia. Nele, a estrutura metálica (ou seja, o corpo do acessório) recebe algumas camadas de metais como o cobre ou o bronze. Depois, é banhada em uma solução de sais de ouro, prata ou ródio, que fica em um tanque com um transportador de corrente elétrica e uma barra do metal nobre que vai cobrir a estrutura.

Por meio da corrente elétrica (eletrólise), o metal passa pelo líquido e é fixado na liga. Quanto mais tempo imersa na solução, mais espessa é a camada.

Qual o melhor tipo de semijoia?

A semijoia banhada é mais resistente e valiosa por ter uma quantidade maior de metal precioso em sua cobertura. Além disso, enquanto a folheada recebe apenas uma cobertura fina, a banhada costuma receber mais de um banho.

Apenas acessórios banhados são considerados semijoias. Como a durabilidade da semijoia folheada é muito curta, o processo mal tem sido usado no ramo da joalheria.

No entanto, há semijoias banhadas que não são de boa qualidade. Para reconhecê-las, você precisa priorizar peças que passaram por um bom banho de metal nobre.

Quais os tipos de banho?

Existem vários banhos de semijoias, mas os mais usados atualmente são de ouro, de prata e de ródio.

Banho de ouro

Mais popular, o ouro é um metal maleável e muito valorizado pelas clientes, além de proporcionar resistência à oxidação. O valor da peça é medido pela quantidade de quilates (K) presente no item.

Joias de ouro puro têm 18K, ou seja, 75% de ouro e 25% de outros metais. No ouro rosé, por exemplo, a composição é de 75% de ouro e 25% de metais avermelhados (que, no caso, pode ser o cobre).

Banho de prata

Embora não seja tão resistente quanto o ouro e o ródio, a prata oferece mais brilho e durabilidade à semijoia. Para que esse aspecto não se perca, ela recebe um acabamento de verniz no final.

Banho de ródio

O mais resistente entre os metais citados, o ródio oferece brilho e durabilidade às semijoias. Ideal para peças em prata (a menos durável dos metais nobres), o acabamento rodinado proporciona muito mais durabilidade, além de evitar marcas de arranhões e manchas.

Além disso, peças em prata precisam de muito polimento para continuarem vistosas. O banho de ródio evita esse excesso de limpeza. O acabamento rodinado também é feito para dar a cor prateada ao ouro branco. Além de não causar alergias, ele garante que a peça seja mais nobre.

Quando misturado a um corante, torna-se ródio negro. Semijoias com essa cor têm se tornado tendência nos últimos anos, pois o contraste com as pedras deixam os acessórios chamativos e únicos.

Como reconhecer um banho de boa qualidade?

Abaixo, veja maneiras descomplicadas de descobrir as melhores semijoias banhadas para revenda.

Confira a espessura do metal nobre

A espessura do banho é medida em milésimos. Quanto maior, mais resistente a semijoia é. O banho flash, que proporciona uma cobertura de menos de 0,01 mm (10 milésimos), é mais usado em bijuterias ou objetos (canetas e isqueiros), pois não oferece durabilidade. O ideal é que a semijoia banhada tenha uma camada de 0,02 mm de espessura, pelo menos.

Brincos sofrem menos com atrito, portanto podem ter até 0,05 mm de cobertura. Já pulseiras e relógios necessitam de uma espessura maior de metal nobre, entre 0,08 e 0,10 mm.

Veja se o fabricante oferece garantia

Você também percebe a qualidade das semijoias analisando o suporte oferecido pelo fabricante. Se a loja dá certificados de garantia, ela tem a segurança da durabilidade de seu produto. Portanto, não abra mão dessa condição ao adquirir seus acessórios para revenda.

Verifique a composição do produto

Muito comum na estrutura de semijoias, o níquel é um metal barato e muito resistente, mas que pode causar alergias. Para abranger um público diversificado, você deve oferecer peças antialérgicas, e o metal não pode estar em sua composição.

A Santa Prata, por exemplo, fabrica peças em prata 925 e latão, que não oferecem riscos e são muito duráveis. Verificar também a quantidade de metal nobre na sua semijoia é garantir-se de que está vendendo produtos com boa qualidade. Não deixe de pedir essa informação ao fabricante!

Como manter a durabilidade da semijoia?

Mesmo que a peça tenha qualidade, ela precisa de cuidados para se manter bonita. Por isso, é relevante conhecer os seguintes:

  • mantenha os acessórios longe de perfumes e de hidratantes. Na hora da aplicação, retire as semijoias e só volte a colocá-las quando o corpo estiver seco;
  • retire as peças sempre que usar produtos de limpeza;
  • armazene as semijoias corretamente. O ideal é que elas fiquem separadas umas das outras e protegidas em saquinhos de tecido macio, que evitam arranhões por atrito;
  • deixe-as longe da umidade. Caso more em local úmido, coloque um pedaço de giz escolar na caixa de semijoias;
  • sempre que usá-las, use uma flanela seca para limpar. No dia em que quiser fazer uma limpeza completa, use sabão neutro e água corrente (não as deixe de molho). Brincos e tarraxas podem ser lavados com álcool e algodão.

Como você pôde perceber, embora sejam parecidas, há muitas diferenças entre semijoias banhadas e folheadas. Por mais que tenham um preço em conta, as peças folheadas são mais frágeis e ficam marcadas com facilidade.

Já as semijoias banhadas são resistentes, valiosas e, dependendo da qualidade de seu banho, são facilmente confundidas com joias. Leve em consideração todos esses fatores ao oferecer os produtos ideais para suas clientes!

Para encontrar as melhores semijoias para revenda, entre em contato com a gente!

Total
115
Shares

Receba Novidades

Inscreva-se em nossa newsletter